Um breve histórico


Antes de qualquer coisa, queremos nos apresentar e agradecer sua visita.

A IECLB – Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, tem raízes históricas na Reforma Protestante do Século XVI.


Algumas mudanças a partir da Reforma foram:

- A pregação na língua do Povo, e não mais em latim;

- Tradução da Bíblia, também para a língua do povo;

- E, conforme a Bíblia, Cristo como único intermediário entre Deus e os seres humanos;


No Brasil, a IECLB está presente desde 1824, organizando-se em Comunidades, Paróquias e Sínodos.


Em que cremos …


Como herdeiros da Reforma cremos em quatro pilares fundamentais nos quais baseamos toda nossa doutrina e que
foram ensinados pelo reformador Martin Lutero:

1 - Somente a Escritura

Cremos que a Bíblia é a suprema fonte de ensino para a fé e a conduta cristã. É a única verdade divina conhecida sobre a terra e, como tal, deve ser cuidadosamente ouvida e estudada. A tradição da Igreja e as suas confissões não são menosprezadas, mas devem estar em constante avaliação sob o crivo da Palavra de Deus. A Bíblia, embora escrita por autores humanos, foi inspirada por Deus, o que lhe confere autoridade e poder em assuntos espirituais (2ª Timóteo 3.16). É ela que nos comunica a boa notícia (Evangelho) de que Deus é amoroso, gracioso e misericordioso. O Evangelho nos anuncia o que Deus fez e continua fazendo, através de Cristo, para salvar a humanidade.

2 – Somente Cristo

A Bíblia apresenta um só Salvador, Senhor e Mediador: Jesus Cristo. “E não há salvação em nenhum outro; porque debaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4.12) “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.” (1ª Timóteo 2.5). Ele sofreu a punição pelos nossos pecados, padecendo e morrendo na cruz em nosso lugar, mas ressuscitou e hoje vive. Voltará visivelmente, pela segunda e última vez, no fim dos tempos, para julgar os vivos e os mortos.

3 - Somente pela Graça

A salvação não é resultado dos nossos esforços, mas é um presente concedido por Deus (Efésios 2.8,9). Se a salvação pudesse ser conquistada por obras e religiosidade, Jesus não precisaria ter vindo para morrer no lugar do pecador. Em Cristo, Deus estende sua graça, oferece seu perdão e reconciliação ao ser humano indigno e perverso. Prova seu amor ao entregar seu Filho e, assim, nos chama para uma nova vida baseada no amor, na justiça e na bondade. As boas obras não são negadas, mas elas devem ser consequências da fé, que se mostra ativa no amor.

4 – Somente pela fé

A fé é a maneira como nos apropriamos do presente da salvação. Pela fé nos convencemos de que somos pecadores e que não podemos ser salvos pelos nossos próprios esforços. Reconhecemos, então, a necessidade da morte de Cristo em nosso lugar. Arrependidos, confessamos a Deus nosso pecado e aceitamos o meio de escape oferecido pelo próprio Deus, aceitando a Cristo como nosso único e suficiente Salvador e Senhor. Ela, a fé, não é uma conquista pessoal ou ato de mérito humano, mas obra do Espírito Santo. Quem permanece na fé até o fim é eternamente salvo, sem fé a salvação é impossível.


O que buscamos...


Baseado nos princípios infalíveis da Palavra de Deus, buscamos viver para louvor e glória do nosso Criador, Deus é o nosso descanso, nosso refúgio, nossa paz e nossa alegria. Ele nos deu uma nova vida ao nos perdoar e aceitar. Na comunidade procuramos nos encorajar, apoiar e fortalecer nesta fé que nos deu a razão de existir.

Por isso, seja bem-vindo em nosso meio para ouvir, apreender e compartilhar a Palavra de Deus sentido Seu abraço carinhoso.

“Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra não me chegou a língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda. Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão.” (Salmo 139.1-5).

 

40 anos da Comunidade de Campinas - São José/SC

 

No domingo, 22 de Outubro de 2017 a Comunidade Luterana de Campinas reuniu-se para celebrar os 40 anos de sua fundação.
Foram homenageados os Pastores que atuaram na Comunidade, bem como os Ex-Presidentes, representando todos aqueles que já passaram pelo Presbitério da Comunidade.

Breve Histórico
A presença evangélica no perímetro urbano de São José é bastante antiga, mas limitava-se a algumas poucas famílias, que pertenciam a comunidade de Florianópolis. No início da década de setenta iniciou-se um grande fluxo migratório devido ao êxodo rural, principalmente de Alfredo Wagner para o bairro de Campinas, em São José. Muitos dos migrantes filiaram-se a comunidade de Florianópolis, outros permaneceram ligados à comunidade de origem e um terceiro grupo acabou distanciado da igreja devido ao processo de migração e urbanização pelo qual haviam passado. O número de famílias evangélicas residentes nos diferentes bairros de São José foi crescendo rapidamente. A primeira iniciativa de um trabalho eclesiástico no referido município aconteceu através de um grupo de senhoras no dia 17 de março de 1973 através da Sra. Maria J. Bruckheimer.
A partir do diálogo entre membros dos presbitérios das comunidades de Florianópolis e Palhoça e várias famílias residentes em São José, decidiu-se expandir o trabalho eclesiástico naquele lugar. O rebanho estava disperso e teve que ser ajudado. Para isto foram feitas muitas visitas as famílias evangélicas. Finalmente no dia 17 de novembro de 1977, ás 20:00 horas, foi fundada nas dependências da firma Jowi a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Campinas, ocasião em que foi eleita a primeira diretoria, empossada no culto da comunidade de Palhoça no dia 20 de novembro de 1977.
Em abril de 1978 a comunidade de Campinas adquiriu dois terrenos para construir o seu templo. No dia 23 de julho de 1978 foi celebrado o primeiro culto da recém-fundada comunidade pelo senhor Cesar Leopoldo Scheidt, presbítero da comunidade de Palhoça, no mesmo local em que ocorrera a sua fundação. O evento contou com a participação de grande público e o coral da Comunidade de Palhoça. Em novembro de 1978 foi tomada a decisão de construir um templo, sonho que começou a se tornar realidade no dia 27 de junho de 1979, ocasião em que a comunidade contratou uma construtora para a referida obra.
No dia 02 de março de 1980, foi oficiado o primeiro culto no salão comunitário no piso térreo, salão este que foi inaugurado no dia 23 seguinte.
Agora fazia-se necessária a construção do templo propriamente dito, planejado para o piso superior.
A comunidade Evangélica de Campinas integrou desde sua fundação, a Paróquia Evangélica de Palhoça. Com o passar do tempo a vida comunitária foi se consolidando mais e mais. Também a edificação do templo progrediu rapidamente e com a colocação do piso e a aquisição dos bancos em 1983 a obra foi concluída.
Visando a futura expansão a Comunidade de Campinas adquiriu no primeiro semestre de 1985 um terreno ao lado do templo.
Em junho de 1987, juntamente com a Comunidade de Barreiros, iniciou-se o processo para criação da Paróquia de São José.
A partir de 1989 a Comunidade iniciou os estudos e projetos para a ampliação do templo, que após muitas etapas e dificuldades, foi reinaugurado em 15 de outubro de 2000.

Nestes 40 anos a Comunidade de Campinas também participou da fundação das Comunidades de Forquilhas e Picadas do Sul, bem como do Ponto de Pregação na Colônia Santana.

Pastores que atuaram na Comunidade:
Pastor Joel Mark Flugstad: 1978-1983
Pastor Arno Paganelli: 1983-1988
Pastor Guilherme Frederico Kayser: 1987-1989
Pastor Sérgio Gessner: 1990-2008
Pastor Nelson Tiburcio Pereira: 1999-2010
Pastor Helton Hélio Kreutzfeld: 2009-hoje
Pastor Joelson Ebert Martins: 2011-hoje
Pastora Marta Elisa Schneider Martins: 2011-hoje

Presidentes da Comunidade:
Sr. Nelson Jahn: 1978-1979
Sr. Etkar Schaeffer (in memorian): 1979-1983
Sr. Célio Sell (in memorian): 1983-1985
Sr. Laudelino Werlich: 1985-1987
Sr. Ino Nicoleit: 1987-1989
Sr. Wilson Iung (in memorian): 1990-1991
Sr. Wolnei Sell: 1992-1995; 1998-2001
Sr. Adir Valter Schovepper: 1996-1997
Sr. Ari Adílio Bruch: 2002-2003
Sr. Renato Luís Ribeiro: 2004-2007
Sr. Sérgio Ricardo Reginaldo: 2008-2009
Sr. Rudnei Schwambach: 2010-2013
Sr. Rubens Hamilton Ribeiro: 2014-2017